CONSTITUCIONALISMO DE BATINA: A IDEIA DE CONSTITUIÇAO DO CLERO REVOLUCIONARIO PERNAMBUCANO ENTRE 1817 E 1824 - 1ªED.(2022) - Leonardo Morais de Araujo Pinheiro - Livro

CONSTITUCIONALISMO DE BATINA: A IDEIA DE CONSTITUIÇAO DO CLERO REVOLUCIONARIO PERNAMBUCANO ENTRE 1817 E 1824 - 1ªED.(2022)

Autor: Leonardo Morais de Araujo Pinheiro
Editora: Lumen Juris

Postagem: Até 12 dias úteis.
Não consta em nossos estoques.
Será comprado após checagem prévia de disponibilidade.

R$ 80,00

em até 3x sem juros

Entrega = postagem + transporte, pesquise para seu CEP:

Sinopse

A presente obra tem como objetivo discorrer acerca das raízes jurídico-filosóficas do pensamento pré-constitucional brasileiro, identificando na inteligência de líderes clericais da Revolução pernambucana (1817) e da Confederação do Equador (1824) a concepção de Constituição por eles empreendida.

Três elementos saltam aos olhos de quem analisa as mencionadas efemérides, sendo eles, portanto, o veículo político para a difusão das doutrinas liberal e iluminista no Brasil colonial ou recém-independente, ou seja, elemento revolucionário; a liderança e a inteligência de membros de um clero instruído na Coimbra reformada por Pombal, é dizer, a sua expressão ideológica; e, a crença no direito natural e codificado como elemento de pacificação das relações entre Estado e sociedade, por meio da elaboração de uma constituição, portanto, o seu pilar instrumental. Ao se pôr em questão esses três destacados elementos como fatores que se relacionam entre si, sugere-se que durante o período de 1817 e 1824 se procedeu em Pernambuco a um verdadeiro movimento de natureza constitucionalista.

Dessa forma, importante destacar que a história de tais revoluções terá lugar importante no curso desta obra, sim, embora seja a história das ideias políticas e jurídicas desses destacados membros do clero católico pernambucano que assumirá o primeiro plano deste esforço acadêmico. Para tanto, merecido destaque caberá ao estudo do trânsito institucional das ideias, o que permitirá identificar um certo “deslocar de posição ideológica” dos membros desse clero revolucionário pernambucano, demonstrado pelos seus afastamentos do paradigma jurídico clássico (direito comum medieval) e do humanismo, aproximando-se, por conseguinte, das bases ideológicas do direito natural (lei civil), bem como da defesa da constituição como uma espécie de “ata” de um novo pacto social de base liberal e iluminista, o que, no campo das ideias, justificou a denominação de “revolucionária” às ideias atribuídas a tais membros do clero insurgente.

Por fim, convém dizer que a presente obra não pretende se imiscuir num debate, muitas vezes eivado de certas especulações ufanistas, senão apenas de trazer à luz do debate a forma como as ideias defendidas por tais lideranças clericais durante as revoluções pernambucanas de 1817 e de 1824 concorreram de uma forma geral para formação e crítica do movimento constitucionalista brasileiro da primeira metade do século XIX.

Dados

ISBN: 9788551918944

Idioma: Português

Encadernação: Brochura

Formato: 16 x 23

Páginas: 208

Ano de edição: 2022

Edição:

Mais vendidos em Humanidades